Friday, June 02, 2006

Conflito interior...será?

Guilt or conflict?
A Liliana é que é a culpada, mas nesto momento to-me a sentir mal :(
Depois de um texto no fotoblog dela dizer que ela está a mudar para outra pessoa, que não dará tanta importância aos rapazes "bons" e sem personalidade diz que quer e parece estar a mudar para outra pessoa ela diz: "Acho que é melhor maneira para ser feliz, gostar de mim, permitindo que os outros também gostem. E se não gostarem pelo menos não me vou andar a sentir mal (como sinto e tenho tentado disfarçar...), é que fazermo-nos de imunes ás críticas quando somos os primeiros a criticar é muito complicado."

Será que sou eu o culpado? Depois daquela confusão com a Cláudia ela (a Liliana) parece estar mais simpática. Mas pode tar a disfarçar. Agora estou com medo de a ter feito sentir mal. Será culpa e remorsos que se abatem sobre mim ou um conflito interior? É que suponho, e sempre supos, que pudesse fazer as pessoas sentirem-se mal. Agora que penso nisso posso ter ignorado simplesmente esse facto. E sinto-me mal. E se as pessoas não são tão felizes nem tão "vivas" por causa das minha críticas e dos meus gozos. E se a Liliana ou outros não têm uma vida mais alegre e feliz por minha causa? Guilt!

Por outro lado, desde ontem, quando tive ed.física, a stora tava a flr connosco sobre os profs que têm deixado de gostar da nossa turma por certas atitudes que alguns de nós têm. Mas a meio da conversa a stora diz mais ou menos assim: "Um dos problemas é o Pedro que parece não saber como e onde parar. E o que posso fazer? Por exemplo, com o André, que é uma pessoa que eu até gosto...". Eu interrompo: "Eu também gosto da stora :D", lol. E ela continua: "Eu sou capaz de perceber aonde é que ele quer ir com as brincadeiras dele. Mas apesar da arrogância dele sou capaz de perceber que ele não está a ser sério." Acho que ela disse "ar de arrogante". Fiquei a pensar.

Já tinha começado à algum tempo. Quando foram as eleições para o concelho executivo a stora de inglês disse que eu era interesseiro. Não era essa apalavra, era diferente. Ela disse que eu era capaz de me aproveitar dos acontecimentos a meu proveito e saber onde chegar e como chegar, mas no sentido positivo. Um misto de esperto e interesseiro, talvez. Fiquei com o orgulho cheio. Mas depois da confusão (bem, não foi confusão, apenas me afectou a mim interiormente) com a Cláudia o meu poço de orgulho foi-se esvaziando. O golpe final foi este da stora de fisica. Agora acho que tenho defeitos a mais a comparar com qualidades. Posso ser inteligente, esperto e aquila palavra que agora não me lembro mas também sou chato, crítico, infantil e quase cruel. Até o Ricardo já me disse que eu sou arrogante e convencido. Que horror, sou uma péssima pessoa e nunca reparei! SE o que a Liliana diz é verdade, então ou sou mesmo cruel. Sinto-me como se não fosse tão "bom" como sempre me disseram, e sinto-me mal... Conflict!

Ainda sobre o que ela diz. Parece-me cada vez mais um recado pra mim: "não me vou andar a sentir mal, é que fazermo-nos de imunes ás críticas quando somos os primeiros a criticar é muito complicado."", mas talvez não seja. Tenho medo que seja. Pela primeira vez não estou a ser imune às críticas. O Ricardo tá-me neste momento a dizer que quando eu estico a corda lhe apetece dar-me um murro. Será que chego a esse ponto o.O. Pode tar só a exgerar. Mas tenho tanto medo de ser uma má pessoa. Tenho medo...a sério.

Uma coisa há a fazer de certeza: perceber o que está mal e mudar. Começa aqui a minha jornada de mudança.

MUSICA:
Audioslave - What you are
QUOTE:
"Tu foste a pessoa que mais me desiludiu naquela escola." Liliana a falar comigo. A frase ecoa na minha cabeça... fds

Sunday, May 28, 2006

Mudar quem sou

Hoje pensei em algo que nunca me tinha passado pela cabeça: serei egocêntrico, egoísta, estupído e convencido? A verdade é que é muito dificil, pelo menos pra mim, compreender que tipo de pessoa sou. Não é tão mais fácil criticar os outros pelos seus defeitos.

Tudo começou com um post da Cláudia no seu fotoblog. Dizia que não tinha amigos e tal (porque não a convidaram para o cinema...), que era uma desgraçada. A Liliana, que ha pouco tempo tinha feito posts contra a superfecialidade e a favor dos promenores e tal, disse à Cláudia que devia mudar: não ser tão extravagante e faladora. E eu pensei "o que define a Cláudia além da sua extravagância e a personalidade faladora?". Por isso respondi ao comment da Liliana: "Se falasses menos e fosses menos extravagante não eras a cláudia. Se falasses menos e fosses menos extravagante não eras gozada." Era só para ela reflectir, não deixar de ser quem é.

Depois vem a Liliana com uma conversa no MSN que se deu assim:
Liliana - "Se tu n escrevesses akilo no flog da claudia n eras estupido. S n fosses estupido n eras o andre.
Eu - "Se nao kisesses mudar as pessoas nao eras a liliana. Se nao tivesses a mudar sempre de opiniao nao eras a liliana."
Liliana - "Eu n tou smp a mudar d opiniao. So k n gosto k uma maiga minah seja gozada por pessoas k s acham melhores k os outros. So kero k ela deixe de ter atitudes k vos deêm razões pa gozar ja k deixarem d gozar é impossivel pelo msn k n o façam c razão. Tu foste a pessoa nakela escola k mais mdecepcionou."

Sinceramente a desilusão dela não me incomoda. Até deve ser muito feliz por eu ter sido a pessoa que mais a decepcionou. Mais à frente diz: "Quanto ao outro comment n sei qual era a ideia, s era avisar-te tal como eu (mas acho que era demasiado nobre da parte dessa pessoa preocupar-se ctgu... e parece-me impossível), s era simplesment humilhar-te... d kk forma, suou-me a humilhação por isso caga... Faz só uma forcinha maior para n lhe dares razões para continuar a ter atitudes cm esta!!!". E eu respondo: "Quanto ao meu recente post vou citar o que expliquei à cláudia hoje a tarde: «todos podem/devem/querem mudar mas devem pensar antes de mudar pa nao deixarem de ser quem são». O que eu quis dizer, e foi apenas um comentário, era: tem cuidado se quiseres mudar. Ninguém te odeia nem não gosta de ti assim como és cláudia. Se mudares para melhor força mas não deixes de ser A cláudia. Era só um aviso. Isto podia nunca acontecer."
  1. Não percebo o que é que ela veio dizer de novo. Já toda a gente disse à CLáudia que ela falava de mais. Mas, ainda assim, pensa que é a melhor amiga dela.
  2. Ela não percebeu o que eu disse e veio logo dizer merdas pra cima de mim. Depois não se dignou a pedir desculpa.
  3. Foi dizer coisas de mim em público, coisa que não percebo, mesmo depois de ter ido falar com a Cláudia. Se tem algo a dizer que venha falar comigo, não é pa estar a falar ali.
Até pode ser verdade que eu seja convencido. Às vezes, em certas frases que digo, arrependo-me e vejo que sou mesmo isso. Mas não acho que seja melhor que outros. Muitas vezes queria ser mais imaginativo, mais simpático, menos crítico... acho que ela pensa isso de mim por eu ser muito crítico... não sei. De qualquer maneira a Cláudia percebeu o que eu disse e parece-me que o levou na boa. Mas como o segundo comment da Liliana foi no dia a seguir acho que ela continua a pensar da mesma maneira. Eu não odeio ninguém - gosto de toda a gente. Mas esta vai ficar aqui atravessada.

Só acho que mudar é muito difícil. E mudar da maneira que as pessoas querem que a Cláudia mude (calada, quieta) vai fazer com que ela deixa de ser ela. Eu quero deixar de ser crítico. Mas quem se lembra do André sem ser o crítico. Vou tentar mais a partir de agora, mas não vou deixar de ser crítico.

Vamos a ver o que se passa amanhã. Tenho teste de Português mas ainda não estudei nada, literalmente. Parece-me tão inutil quando posso montar moléculas e animações e aprender a montar imagens em POV-Ray. Mais ridículo que isso só educação física contar para a nota...


MUSICA:
Yeah Yeah Yeahs - Gold Lion
QUOTE:
"Ligamos tanto às aparências, na nossa idade isso tem uma importância enorme, mas esquecemo-nos que a beleza física desaparece com o passar do tempo. Hoje apercebi-me o quanto as aparências são vazias, não têm significado." Fotoblog da Liliana